Blog

A MORTE DA MORTE | Hebreus 2

– ESBOÇO SIMPLIFICADO –

No último domingo, lemos a segunda parte do capítulo 1 no qual o autor de Hebreus nos fala da superioridade de Jesus sobre os anjos.

Lemos sobre a grandeza dos anjos, e como Jesus é maior, mais cheio de glória, de beleza e de poder que os anjos.

Em Hebreus 2, leremos como Jesus, por sua morte, nos trouxe vida e nos fez seus irmãos.

O foco está todo na morte de Jesus. Na morte de Jesus, Deus deu “uma rasteira” na morte. Se pararmos pra pensar na morte, a morte sempre dá ocasião para o início da vida. E isso é parte do mistério da criação. Na morte, a vida sempre renasce. Tudo que morre alimenta o que nasce, desde uma árvore que tomba e alimenta as que estão nascendo, até o corpo de um animal que alimenta (ao morrer) o corpo de outros animais vidos.

Na morte de Jesus, todos somos chamados ao banquete da vida. Por sua morte, ele nos deu vida.

Jesus destruiu o poder da morte com a sua própria morte. Como escreveu John Owen:

“A morte morreu na morte de Cristo”, John Owen.

Jesus criou a vida uma primeira vez, em Gênesis, e a tornou possível uma segunda vez ao dar a vida por nós.

NÃO NEGLIGENCIE OS CONSELHOS DE DEUS

Este capítulo começa invocando as lições do anterior.

Hebreus 2.1 NAA

1 Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

“Por esta razão”: diante da grandeza de Jesus que foi apresentada no capítulo 1.

Diante da singularidade de Jesus como o Salvador.

“Importa”: O que importa?

> Importa: essencial, importante, necessário \ deve ser levado em consideração.

› Em sua vida, o que importa pra você?

Para o autor de Hebreus, importa nos “apegarmos com firmeza”, com garra, às verdades [sobre Jesus] > para que jamais nos desviemos delas.

Hebreus 2.2 NAA

2 Porque, se a palavra falada por meio de anjos se tornou firme, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo,

Se tudo dito até então se cumpriu, porque não crer que tudo dito naquele momento não se cumprirá?

> Tudo dito antes se cumpriu;

> Tudo dito agora se cumprirá.

› Exortação: não negligencie a Palavra de Deus.

Hebreus 2.3–4 NAA

3 como escaparemos nós, se não levarmos a sério tão grande salvação? Esta, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, depois nos foi confirmada pelos que a ouviram.

4 Também Deus testemunhou juntamente com eles, por meio de sinais, prodígios, vários milagres e a distribuição do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

A Palavra foi anunciada, confirmada, testemunhada… não deve ser negligenciada.

Hebreus 2.5 NAA

5 Pois não foi a anjos que Deus sujeitou o mundo que há de vir, sobre o qual estamos falando.

Estamos falando de um mundo vindouro. este mundo por vir está sujeito a Jesus.

DEUS SUJEITOU TUDO A JESUS

Mas, para que isso pudesse acontecer, temos o que está nos versos seguintes:

Hebreus 2.6–8 NAA

6 Pelo contrário, alguém, em certo lugar, deu testemunho, dizendo: “Que é o homem,que dele te lembres?Ou o filho do homem,que o visites?

7 Fizeste-o, por um pouco, menor do que os anjose de glória e de honra o coroaste.

8 Todas as coisas sujeitastedebaixo dos seus pés. ”Ora, ao lhe sujeitar todas as coisas, nada deixou fora do seu domínio. Neste momento, porém, ainda não vemos todas as coisas a ele sujeitas.

Este texto é uma citação do Salmo 8.4-6 

Salmo 8.4–6 NAA

4 que é o homem, para que dele te lembres? E o filho do homem, para que o visites?

5 Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deuse de glória e de honra o coroaste.

6 Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mãoe sob seus pés tudo lhe puseste:

A palavra original no texto de Hebreus (em grego) é  

ἀγγέλους

“angelos”

Esta é uma citação original da LXX (Septuaginta), tradução grega do meio do 3º século antes de Cristo. O uso da passagem do Sl 8 em Hb 2 é diferente.Uma mesma passagem é usada para fins diferentes (algo comum também nos Salmos e nos Evangelhos).

Importante analisar o contexto deste capítulo que trata do momento da encarnação de Cristo, quando Jesus se torna menor que os anjos com o fim de nos salvar.

No Salmo 8, o autor fala de toda a humanidade, criada um pouco menor do que Deus. Lá, a palavra original usada é 

Biblia Hebraica Stuttgartensia: SESB 2.0 Version Chapter 8

אֱלֹהִ֑ים

Elohim

Texto hebraico traz מֵאֱלֹהִ֑ים e a LXX traz a palavra ἀγγέλους . O argumento do salmo está baseado na criação de Gênesis 1, onde estão presentes apenas Deus e os Homens (e o restante da criação), e não os anjos. Elohim é um termo mais “genérico”no hebraico, algo que não acontece no grego, onde deveria ser traduzido por theos (semelhante a YHWH em heb.). Por isso, talvez, a LXX tenha escolhido a possibilidade de tradução para elohim que é angelos (uma das possibilidades). E mais, “de glória e de honra”,  וְכָב֖וֹד וְהָדָ֣ר, é citado apenas para homens (reis e sacerdotes) e Deus na Bíblia, e nunca para anjos.

Então, no Salmo 8, a ideia é mesmo que Deus criou os homens um pouco menor do que Deus.

Já em Hebreus 2, a ideia é falar de Jesus, que ele foi feito um pouco menor do que os anjos, quando de sua encarnação. Isso porque ele assumiria nossos pecados e se tornaria maldição em nosso lugar, coisa que os anjos nunca fizeram nem farão.

Voltando ao texto de Hebreus,

Hebreus 2.7–8 NAA

7 Fizeste-o, por um pouco, menor do que os anjose de glória e de honra o coroaste.

8 Todas as coisas sujeitastedebaixo dos seus pés. ”Ora, ao lhe sujeitar todas as coisas, nada deixou fora do seu domínio. Neste momento, porém, ainda não vemos todas as coisas a ele sujeitas.

Ainda não vemos tudo que está sujeito a Cristo.

Hebreus 2.9 NAA

9 Vemos, porém, aquele que, por um pouco, foi feito menor do que os anjos, Jesus, que, por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

Sofrimento da morte > Coroado de glória > pela graça, provou a morte por todos!

Jesus, feito menos que os anjos, sofreu o que nenhum anjo poderia [anjos não morrem]. Jesus se submeteu a isso, por nós.

Foi coroado de glória, e os anjos não são coroados de glória. E Jesus, por fim, provou a morte, algo que aos anjos também não é possível. Algo que também não é possível aos anjos é o que é dito nos versos seguintes:

FEZ-NOS SEUS IRMÃOS 

Hebreus 2.10–11 NAA

10 Porque convinha que Deus, por causa de quem e por meio de quem todas as coisas existem, conduzindo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse, por meio de sofrimentos, o Autor da salvação deles.

11 Pois, tanto o que santifica como os que são santificados, todos vêm de um só. É por isso que Jesus não se envergonha de chamá-los de irmãos,

Jesus fez-nos seus irmãos. Deus, que fez tudo, fez com que Cristo se tornasse  o “primeiro entre os irmãos”. Veja outras passagens que afirmam o mesmo:

Colossenses 1.13–20 NAA

13 Ele nos libertou do poder das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado,

14 em quem temos a redenção, a remissão dos pecados.

15 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.

16 Pois nele foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele.

17 Ele é antes de todas as coisas. Nele tudo subsiste.

18 Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja. Ele é o princípio, o primogênito dentre os mortos, para ter a primazia em todas as coisas.

19 Porque Deus achou por bem que, nele, residisse toda a plenitude

20 e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus.

E também Rm 8.29-30

Romanos 8.29–30 NAA

29 Pois aqueles que Deus de antemão conheceu ele também predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.

30 E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.

 Nos versos seguintes, vemos mais citações do AT:

Hebreus 2.12 NAA

12 dizendo: “A meus irmãosdeclararei o teu nome, no meio da congregaçãoeu te louvarei.”

Aqui, o vemos citar o Salmo 22.22: 

Salmo 22.22 NAA

22 A meus irmãos declararei o teu nome; no meio da congregação eu te louvarei.

E ele segue

Hebreus 2.13 NAA

13 E, outra vez: “Eu porei nele a minha confiança.” E, ainda: “Eis aqui estou eue os filhos que Deus me deu.”

Citando alguns trechos do AT

2Samuel 22.3 NAA

3 o meu Deus, o meu rochedoem que me refugio; o meu escudo, a forçada minha salvação, o meu alto refúgio. Ó Deus, tu me salvas da violência.

e

Isaías 8.18 NAA

18 — Eis-me aqui, com os filhos que o SENHOR me deu, como sinais e maravilhas em Israel da parte do SENHOR dos Exércitos, que habita no monte Sião.

Além de trazer à memórias as palavras de Jo 17.6

João 17.6 NAA

6 Manifestei o teu nome àqueles que me deste do mundo. Eram teus, tu os deste a mim, e eles têm guardado a tua palavra.

Por fim, o capítulo encerra com Jesus sendo apresentado como…

REDENTOR, GUERREIRO E SUMO-SACERDOTE

Cristo é apresentado primeiro como guerreiro e redentor, e depois como o misericordioso Sumo-Sacerdote.

Hebreus 2.14 NAA

14 Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, também Jesus, igualmente, participou dessas coisas, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo,

Que palavras maravilhosas. 

Por sua morte, Jesus destruiu o poder da morte. Lembram das palavras de John Owen citadas no início? 

“A morte morreu na morte de Cristo”, John Owen.

Isso foi tirado do livro que leva o nome de A Morte da Morte na Morte de Cristo.

Notemos, pelas palavras do autor de Hebreus 2.14, que o Diabo possui certo poder sobre a morte.

Hebreus 2.14 NAA

14 Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, também Jesus, igualmente, participou dessas coisas, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo,

Mas Jesus morreu para nos livrar desse poder da morte e, consequentemente, do Diabo. Veja também o verso 15.

Hebreus 2.15 NAA

15 e livrasse todos os que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida.

Antes, estávamos sujeitos à escravidão, momentânea e eterna. Na morte de Cristo, não apenas vida, mas liberdade conquistamos.

Hebreus 2.16–17 NAA

16 Pois ele, evidentemente, não socorre anjos, mas socorre a descendência de Abraão.

17 Por isso mesmo, era necessário que, em todas as coisas, ele se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo.

Propiciação pelos irmãos. Mas, o que é propiciação? Palavra citada em Hb 2.17, em Rm 3.25-26 e em 1Jo 2.1-3, propiciação significa:

PROPICIAÇÃO

Jesus se entregou como um presente por nós. Através da entrega de Jesus para Deus, a ira que era contra nós não existe mais. Toda ira contra nós foi lançada sobre Jesus. Ele se deu para nos salvar da ira de Deus, a ira que pesaria sobre nós por toda a eternidade. Isso é tão incrível e maravilhoso. Palavras não podem descrever…

Hebreus 2.18 NAA

18 Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, quando foi tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados.

E o último verso fala sobre tudo que Jesus passou para que tivéssemos sua presença e proteção hoje.

Quando o texto diz que Jesus foi tentado, precisamos nos lembrar no que ele foi tentado. A Bíblia fala de três grandes fundamentos do pecado. Eles estão em 1Jo 2.16 

1João 2.16 NAA

16 Porque tudo o que há no mundo — os desejos da carne, os desejos dos olhos e a soberba da vida — não procede do Pai, mas procede do mundo.

Estas são as 3 concupiscências, ou, os 3 grandes desejos pecaminosos que dão sustentação a todos os pecados. Carne, olhos e soberba. Jesus foi tentado nestas três áreas? Sim, em Mateus 4.1-11 

Mateus 4.1–11 NAA

1 A seguir, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.

2 E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome.

3 Então o tentador, aproximando-se, disse a Jesus:— Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras se transformem em pães.

4 Jesus, porém, respondeu:— Está escrito: “O ser humano não viverá só de pão, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.”

5 Então o diabo levou Jesus à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo

6 e disse:— Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui, porque está escrito: “Aos seus anjos ele dará ordens a seu respeito. E eles o sustentarão nas suas mãos, para que você não tropece em alguma pedra.”

7 Jesus respondeu:— Também está escrito: “Não ponha à prova o Senhor, seu Deus.”

8 O diabo ainda levou Jesus a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles

9 e disse:— Tudo isso lhe darei se, prostrado, você me adorar.

10 Então Jesus lhe ordenou:— Vá embora, Satanás, porque está escrito: “Adore o Senhor, seu Deus, e preste culto somente a ele.”

11 Com isto, o diabo deixou Jesus, e eis que vieram anjos e o serviram.

Nesta ocasião, Jesus foi tentado com os desejos da carne, os desejos dos olhos e a soberba da vida.

Por esta razão, Hb 2.18 diz:

Hebreus 2.18 NAA

18 Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, quando foi tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados.

Ou seja, ele foi tentado em todas as áreas em que nós também somos tentados diariamente.

APLICAÇÕES

Jesus é poderoso para nos socorrer em todas as nossas tentações. Ele as conhece todas.

Jesus conhece nossas tentações, fraquezas, lutas e arrogâncias.

Jesus, como guerreiro, luta por nós.

Jesus, como sumo-sacerdote, intercede por nós.

Jesus, como redentor, nos cobre com sua misericórdia. Quando caímos em nossos erros e destruímos a nossa alegria, destruímos a nossa família, destruímos o nosso negócio, os nossos estudos, destruímos uma amizade, Jesus é aquele que nos cobre com sua misericórdia e nos permite começar tudo de novo, restaurados, transformados.

Como sumo-sacerdote, ele nunca deixa de nos apresentar diante de Deus-Pai. Ele nunca falha em comunicar ao Pai cada uma de nossas dores, carências, limitações, doenças, necessidades. Ele está mais atento ao que precisamos do que nós mesmos. Ele, e só ele, é capaz de antecipar o socorro, mesmo antes que saibamos que passaremos por algum perigo.

Jesus, como guerreiro, não apenas destruiu o poder da morte, destruindo o poder que o Diabo possuía sobre a morte eterna, mas continua a lutar por nós, nos defender, nos guardar e proteger em toda nossa caminhada nesse mundo.

Ele nos conhece mais do que nós mesmos. Não há ninguém que nos ame mais do que ele. Não há ninguém que nos queira mais perto dele do que ele mesmo. 

Se queremos ver a morte de tudo que nos mata e destrói [o pecado, as decisões erradas, as palavras erradas do dia a dia, enfim, tudo que nos afasta de Deus], se queremos ver tudo isso longe de nossas vidas, o único caminho é nos voltarmos a este precioso Cordeiro, cuja morte nos traz a vida.



Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: