JESUS, MAIOR QUE TUDO E QUE TODOS

Seja bem-vindo à página da série de mensagens na Epístola aos Hebreus! O nome desta série destaca aquilo que pretendo mostrar. A Epístola aos Hebreus trata, acima de tudo, sobre Jesus.

Jesus é apresentado como o criador, aquele que é superior a tudo e a todos, aquele que é digno de receber toda honra e glória, toda adoração.

Jesus é aquele que faz novas todas as coisas e que pode dar uma nova vida a todo aquele que com ele fizer uma aliança.

Lhe convido para mergulhar em Hebreus comigo! Abaixo, a introdução à série Jesus, maior que tudo e que todos e também o esboço simplificado deste sermão.

Wilson Porte Jr.

 

ESBOÇO SIMPLIFICADO

JESUS: Maior do que tudo e do que todos!

Exposições em Hebreus   

INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA

1  Antigamente, Deus falou, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas,

Heb 1:1

  • Como introdução à série de mensagens em Hebreus, gostaria de apresentar alguns detalhes importantíssimos sobre esta Epístola;
  • Talvez, do verso 1 nos venha uma expressão que faça toda a diferença: Deus falou!
  • Em toda Epístola aos Hebreus, o autor mostra como Deus falou, fala e ainda falará enquanto Jesus não voltar;
  • O ato de Deus falar prova seu amor por nós;
  • Mas, para quem ele falou e o que quis falar quando inspirou esta Epístola?

QUEM ESCREVEU

  • Muitos escritores sugerem vários autores;
  • Paulo, Barnabé, Timóteo, Clemente, Áquila, dentre outros;
  • O autor não se identifica na carta;
  • Concordo com Orígenes de Alexandria (século 3): jamais saberemos quem a escreveu;
  • O que se sabe é que o autor estava na Itália (ele cita isso no final), conhecia Timóteo, e era conhecido dos hebreus;

PARA QUEM ESCREVEU

  • Um grupo de judeus (hebreus – é a mesma coisa) que estavam vivendo longe de Jerusalém, perseguidos por sua fé em Cristo;
  • Provavelmente, foram perseguidos pelos próprios judeus e, agora, como cristãos, eram também perseguidos pelo gentios por sua fé em Cristo como Deus;
  • Sabemos que era um grupo que estava confuso, e precisava compreender melhor como Cristo é maior e melhor do que a Antiga Aliança e todas as coisas no judaísmo;

ONDE ESTAVAM

  • Provavelmente, este grupo de cristãos vivia em alguma cidade ou aldeia da Grécia, escondidos, refugiados protegendo-se da perseguição;
  • Eram todos judeus (pela Epístola, parece que não havia nenhum estrangeiro no meio daquele grupo – eram todos exclusivamente judeus);
  • Curiosamente, a Epístola é escrita em grego (embora a língua deles fosse o hebraico), mostrando que o grupo estava ambientado em um lugar estrangeiro e com a língua universal da época;

TIPOS DE CRISTÃOS

  • No meio destes hebreus, havia 3 grupos de pessoas:
  • Aqueles que eram convertidos, regenerados;
  • Aqueles que eram intelectualmente convencidos, porém não-regenerados;
  • Aqueles que não criam que Jesus é Deus, portanto, não regenerado também;
  • É muito importante lembrar disso para entender alguns trechos da epístola;
  • O autor sabia que, no meio dos seus leitores, havia crente, não crente, e gente que achava que era crente, mas não era.
  • Estes judeus fizeram parte da 3ª geração de cristãos;
  • A primeira geração foi a dos apóstolos, todos judeus, que conheceram Jesus, o viram pregar, o ouviram em pessoa durante seu ministério terreno;
  • A segunda geração foi a dos pais da igreja, os discípulos dos apóstolos, que ouviram de 2ª mão o evangelho;
  • Esta segunda geração foi composta quase totalmente de gentios (estrangeiros, não hebreus)
  • A terceira geração foi a daqueles que ouviram dos pais da igreja, dos discípulos dos apóstolos;
  • É nesta terceira geração de cristãos que encontramos novamente hebreus se convertendo;
  • Por isso, provavelmente quem escreveu foi um discípulo dos apóstolos para este grupo de hebreus convertidos (estes hebreus não conheceram a Jesus – são, provavelmente, filhos daqueles que viram Jesus e pediram a crucificação de Jesus);

QUANDO FOI ESCRITO

  • Entre a ascensão de Jesus no ano 30 e a destruição de Jerusalém no ano 70;
  • Pela Epistola, Jerusalém ainda existia;
  • No ano 70 d.C., Jerusalém foi totalmente destruída e todos os judeus foram espalhado pelo mundo, retornando somente 70 anos atrás, em 1948, quando o Estado de Israel voltou a ser oficialmente reconhecido;
  • Como estes discípulos cristão já conheciam o evangelho e, pela Epístola, não faziam parte da primeira geração de judeus que se converteu a Jesus, a Epístola deve ter sido escrita entre 60 e 70 d.C.;

RESUMO DO PRÓPRIO AUTOR

  • Em Hebreus 8.1, o autor dá seu próprio resumo:

Ora, o essencial das coisas que estamos dizendo é que temos tal sumo sacerdote, que se assentou à direita do trono da Majestade nos céus

Hb 8.1

  • Neste verso, o próprio autor resume seu próposito: falar de Jesus como aquele que é maior do que todas as coisas que eles deixaram no judaísmo;
  • Provavelmente, alguns judeus estavam preocupados por não poderem mais ir ao Templo, à Jerusalém, não podiam mais levar seus sacrifícios de animais, não podiam mais cumprir as leis da Aliança, não tinham mais um sumo-sacerdote que pudesse clamar a Deus pelo perdão dos pecados deles, um sumo-sacerdote que entrasse na presença de Deus no Santo dos Santos para fazer expiação dos pecados;
  • O autor desta Epístola quer mostrar pra eles que Jesus é maior que todos os sumo-sacerdotes, Jesus é maior que todos os sacrifícios, que o sacrifício de Jesus é maior que o dos animais, que a Nova Aliança pelo sangue de Jesus é maior que a Antiga Aliança de Moisés, que a Nova Jerusalém que Jesus prepara para os seus é maior que a Jerusalém terrena cheia de pecados, e que o verdadeiro templo não é o de Jerusalém, mas o da congregação dos santos, o povo de Deus, este sim, o verdadeiro Templo o Senhor agora habita;
  • Jesus é maior do que tudo e do que todos;

CONCLUSÃO

  • Hoje, também, somos tentados a olhar para aquilo que nos traz segurança e acharmos que só seremos felizes se presos a elas estivermos;
  • Hoje, também, somos tentados a acreditar que nossa vida estará segura se tivermos bens, se tivermos, um bom emprego, uma boa casa, um bom salário, uma boa família, bom estudo, boa igreja, que só estaremos felizes quando tivermos conquistado aquilo que é o melhor para nós;
  • Esta Epístola nos mostra como, em Sua graça, Jesus transforma nosso desespero em vida;
  • Como Jesus quer ser maior que tudo em nossa vida;
  • Jesus é maior que tudo aquilo atrás do que corremos;
  • Quando temos Jesus reinando acima de tudo em nossos corações, mesmo em meio à perseguições, somos capazes de descansar felizes;
  • Mesmo que tenhamos perdido algo ao nos convertermos, o fato de termos recebido Jesus faz com que não tenhamos falta de mais nada;
  • Jesus também quer ser maior que tudo em nossas vidas.